Solução de acesso generalizado: publique em formato e-book com opção de impressão dos exemplares que pretender em suporte de papel

Poder de argumentação: saber Sustentar posições

* Preço do curso em regime e-learning: A) sem tutoria: 295,20 euros. B) Com tutoria: 430,50 euros. Após a compra do curso será fornecido um nome de utilizador e uma palavra-passe que lhe dará acesso durante um ano a todas as funcionalidades do curso. O curso tem no total para cima de 17 horas de vídeo que, combinadas com as tarefas e avaliações correspondem a 120 horas de formação (40 horas por nível).

Estrutura do curso

Nível 1 - ARGUMENTAÇÃO, SITUAÇÃO DE ARGUMENTAÇÃO E RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA

• Aula 1: Instruções gerais | (6m04s)
• Aula 2: Enquadramento e pressupostos do curso
------------• Quais os pressupostos teóricos da abordagem da argumentação propostos neste curso? | (18m48s)
• Aula 3: Tarefa 1 | (3m20s)
• Aula 4: Apresentação da estrutura do curso e da estrutura do nível 1 | (18m47s)
------------• Quais os diferentes pontos que iremos abordar no primeiro nível deste curso?
Aula 5: Tarefa 2 | (1m07s)
Aula 6: Razões que levam a valorizar e razões que levam a desvalorizar a argumentação | (24m14s)
------------• De um ponto de vista do senso comum, quais as razões que levam a valorizar ou a desvalorizar aargumentação?
Aula 7: Tarefa 3 | (1m27s)
Aula 8: Ensinar a argumentar? | (34m51s)
------------• Qual o sentido de ensinar a argumentar? Porque é problemático o ensino da argumentação? Quais assuas principais finalidades? Porque argumentamos?
Aula 9: Tarefa 4 / Avaliação 1 | (50s)
Aula 10: Com que é que se parece uma argumentação? | (36m57s)
------------• Que ideia comum temos da argumentação? Como a representaríamos graficamente? Que léxico ouuniverso topológico (termos e lugares comuns) ligamos à ideia de argumentação?
Aula 11: Tarefa 5 / Avaliação 2, 3 e 4 | (7m22s)
Aula 12: Análise de um debate (1/4) | (10m36s)
------------• Segundo que parâmetros podemos avaliar um debate enquanto exemplo de uma situação deargumentação? Quem se superiorizou e porquê?
Aula 13: Análise de um debate (2/4) | (16m25s)
Aula 14: Análise de um debate (3/4) | (14m12s)
Aula 15: Análise de um debate (4/4) | (23m23s)
Aula 16: Tarefa 6 | (38s)
Aula 17: Racionalidade argumentativa | (51m52s)
------------• Qual a relação entre razão e argumentação? Que tipo de conceção de razão é pressuposto peloexercício da argumentação? Quais as principais características da racionalidade argumentativa?
Aula 18: Tarefa 7 / Avaliações 5 e 6 | (7m52s)
Aula 19: Diálogo, argumentação e atitudes | (16m19s)
------------• Os estereótipos do violador, do sedutor e do amante
Aula 20: Tarefa 8 / Avaliação 7 | (43s)
Aula 21: Técnica oratória | (25m37s)
------------• Alguns saberes essenciais: começar, discorrer, persuadir, interrogar, colorir e concluir.
Aula 22: Recursos retóricos | (18m54s)
------------• Alguns recursos retóricos e figuras de estilo
Aula 23: Tarefas 9 e 10 / Avaliação 8 | (3m13s)

Nível 2 - COMUNICAÇÃO PERSUASIVA, USO ARGUMENTATIVO DA LINGUAGEM E TIPOLOGIA E ESQUEMAS ARGUMENTATIVOS

Aula 24: Apresentação no nível 2 | (21m38s)
Aula 25: Contextos político-culturais de valorização da argumentação (1/4) | (20m49s)a)
------------• Breve contextualização histórica
------------• Quais os contextos culturais propícios à valorização da argumentação?
Aula 26: Tarefa 11 / Avaliação 9 | (51s)
Aula 27: Contextos político-culturais de valorização da argumentação (2/4) | (17m12s)
------------• Quando é que se dá pela primeira vez a valorização da retórica e da argumentação?
Aula 28: Tarefa 12 / Avaliações 10 e 11 | (1m00s)
Aula 29: Contextos político-culturais de valorização da argumentação (3/4) | (27m24s)
------------a) Quando é que surgiu o primeiro tratado da argumentação? O que nos dizem as narrativas fundadoras sobre a argumentação?
------------• O que caracteriza o universo da Polis democrática grega no qual a argumentação e a retórica são valorizadas?
------------• Que relação há entre a democracia grega e a ideia de cidadania?
------------b) Quais as características da democracia grega?
------------• Quais as características da democracia grega?
------------• Que exigências colocava o quadro da democracia grega em termos de educação?
------------c) O que foi o movimento sofístico?
------------• Como caraterizar o movimento sofístico no contexto da sua emergência?
Aula 30: Tarefa 13 / Avaliações 12 e 13 | (1m32s)
Aula 31: Tarefa 14 | (1m21s)
Aula 32: Contextos político-culturais de valorização da argumentação (4/4) | (15m55s)
------------d) Qual a definição aristotélica de retórica?
------------• Como definiu Aristóteles a retórica? E como compreender essa definição?
Aula 33: Tarefa 15 / Avaliações 14 e 15 | (2m37s)
Aula 34: Características da comunicação persuasiva (1/2) | (31m29s)
------------a) Os grandes eixos do discurso persuasivo: o ethos, o pathos e o logos
------------• Como funcionam o ethos, o pathos e o logos na comunicação persuasiva?
------------b) A credibilidade
------------• Como se relacionam ethos e credibilidade?
------------• Que influência têm o ethos discursivo e pré-discursivo na imagem de si?
------------• Qual a importância da imagem de si na comunicação?
------------c) A empatia com o auditório
------------• O que significa «empatia com o auditório»?
------------d) Discurso, consistência e solidez
------------• Qual a importância de apresentar um discurso consistente e sólido?
Aula 35: Tarefa 16 / Avaliação 16 | (43s)
Aula 36: Características da comunicação persuasiva (2/2) | (15m35s)
------------e) O critério da relevância
------------• O que é o critério da relevância?
------------f) O critério da aceitabilidade
------------• Qual a importância da «aceitabilidade»?
------------g) O critério da suficiência
------------• Argumentar o quanto baste?
------------e) A articulação dos vários critérios
------------• Como se articulam os vários critérios?
Aula 37: Tarefa 17 / Avaliações 17 e 18 | (1m10s)
Aula 38: O uso argumentativo da linguagem (1/2) | (28m53s)
------------a) Uso argumentativo e uso instrumental da linguagem
------------• Como distinguir o uso argumentativo do uso instrumental da linguagem?
------------b) A argumentatividade como forma de dar a compreender
------------• Será que argumentamos para dar a compreender?
------------• O que significa dizer que o uso da língua orienta para?
------------c) Os termos carregados e os efeitos holograma
------------• Será que podemos ver a linguagem com criadora de hologramas?
------------d) O uso de perguntas como forma de orientar
------------• Qual a função das perguntas no uso argumentativo da linguagem?
------------• Como colocamos as coisas em perspetiva?
Aula 39: Tarefa 18 / Avaliações 19, 20, 21, 22 e 23 | (3m59s)
Aula 40: Tarefa 19 | (54s)
Aula 41: O uso argumentativo da linguagem (2/2) | (19m47s)
------------e) Os estreitamentos focais
------------• Como se passa da tematização dos assuntos à assunção de uma conclusão?
------------f) Episódios de contradição conversacional e diferendo argumentativo
------------• O que distingue os episódios de contradição conversacional dos diferendos argumentativos?
------------• Que perguntas a ter em conta na análise de uma situação de argumentação?
Aula 42: Tarefa 20 / Avaliação 24 | (44s)
Aula 43: Tipologia de argumentos | (43m54s)
------------• Os argumentos quase lógicos, os baseados na estrutura do real e os argumentos que fundam aestrutura do real
Aula 44: Tarefa 21 / Avaliação 25 | (46s)

Nível 3 - ANÁLISE CRÍTICA E FALÁCIAS: AVALIAR AS ARGUMENTAÇÕES

Aula 45: Apresentação no nível 3 | (16m09s)
Aula 46: Tarefa 22 | (1m05s)
Aula 47: A estrutura do discurso argumentado. Discurso argumentado e interação argumentativa (1/4) | (29m53s)
------------a) Como caracterizar a estrutura de um discurso argumentado?
------------b) Exercício prático
------------c) Argumentação e retórica
Aula 48: Tarefa 23 / Avaliação 26 | (38s)
Aula 49: A estrutura do discurso argumentado. Discurso argumentado e interação argumentativa (2/4) | (38m48s)
------------d) Distinção entre discurso argumentado e interação argumentativa.
------------e) Fases de uma situação de argumentação (2/4)
Aula 50: Tarefa 24 / Avaliações 27, 28, 29 e 30 | (1m21s)
Aula 51: A estrutura do discurso argumentado. Discurso argumentado e interação argumentativa (3/4) | (48m57s)
------------f) Definições de argumentação
Aula 52: Tarefa 25 / Avaliação 31 | (1m08s)
Aula 53: Tarefa 26 / Avaliações 32, 33 e 34 | (1m43s)
Aula 54: A estrutura do discurso argumentado. Discurso argumentado e interação argumentativa (4/4) | (32m48s)
------------g) Estratégias retóricas como incentivos à argumentação
------------h) Competências de audiçãoi) Exercício prático: como podemos analisar uma situação de argumentação? (4/4)
Aula 55: Tarefa 27 | (1m18s)
Aula 56: Tipologias de argumentos e de esquemas argumentativos (Toulmin, Janik e Rielke) | (34m32s). Argumentações;
------------a) pela analogia
------------b) pela generalização
------------c) pelo signo
------------d) pela causa
------------e) pela autoridade
------------f) pelo dilema
------------g) pela classificação
------------h) pelos opostos
------------i) pelo grau
Aula 57: Tarefa 28 / Avaliações 35, 36 e 37 | (46s)
Aula 58: Análise crítica: testar as argumentações (1/4) | (35m43s)
------------a) O modelo de Toulmin (1/4)
------------• Que esquema de análise nos é proposto por Toulmin e qual a sua aplicação?
------------• O raciocínio e os seus objetivos
------------• A propriedade dos argumentos
------------• Teses
------------• Razões
------------• Garantias e regras
------------• Reforços
------------• Qualificadores e reservas
------------• Conclusões
Aula 59: Análise crítica: testar as argumentações (2/4) | (37m53s)
------------b) O modelo de Toulmin (conclusão)
------------c) A distinção entre propostas de facto, de valor e de ação e o método da árvore na construção do discurso argumentado
------------• O que distingue estes três tipos de juízo?
------------• Em que consiste e para que serve o método da árvore?
Aula 60: Tarefa 29 / Avaliações 38, 39, 40 e 41 | (5m01s)
Aula 61: Tarefa 30 / Avaliações 42 e 43 | (54s)
Aula 62: Análise crítica: testar as argumentações (3/4) | (28m35s)
------------d) Como proceder a uma análise crítica do discurso argumentado?
------------• Exercícios relativos à leitura argumentativa dos discursos.
Aula 63: Análise crítica: testar as argumentações (4/4) | (20m18s)
------------e) Como proceder a uma leitura de um discurso argumentativo de modo a produzir um contradiscurso?
------------• Exercícios relativos à leitura contra-argumentativa dos discursos.
Aula 64: Falácias? (1/2) | (20m50s)
------------a) Argumentos em ad e outros
------------• O que são os argumentos em ad e qual o seu significado? Inventário de argumentos em ad, outros tipos de argumentos e os pecados da língua.
Aula 65: Tarefa 31 / Avaliações 44, 45, 46 e 47 | (59s)
Aula 66: Tarefa 32 | (1m25s)
Aula 67: Falácias? (2/2) | (43m32s)
------------b) Falácias
------------• O que são as falácias? Como as detetar?
------------c) Falácias: para refletir
------------• Como pensar as falácias?
Aula 68: Tarefa 33 / Avaliação 48 | (1m03s)
Aula 69: Tarefa 34 | (3m41s)
Aula 70: Tarefa 35 / Avaliação 49 | (3m17s)
Aula 71: Conferência extra: Retórica e objetividade | (52m08s)

Informações adicionais

Responsável pelo curso

Rui Alexandre Grácio nasceu em 1960, na Póvoa de Varzim — Portugal. Licenciou-se em Filosofia em 1986, obteve o grau de Mestre em Filosofia Contemporânea em 1991, concluiu o Curso de Qualificação em Ciências da Educação em 1993 (tendo-se tornado professor profissionalizado), e doutorou-se em Ciências da Comunicação, área de conhecimento Semiótica Social, pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, em 2011 com uma tese sobre Teorias da Argumentação. É Formador Especialista de Professores, reconhecido pelo Conselho Científico-Pedagógico de Formação Contínua, desde 1997 e é detentor do CAP (Certificado de Aptidão Profissional n.º EDF 504547/2009 DC) emitido em 23 de Junho de 2009 pelo IEFP, I.P., Delegação de Coimbra. É autor de diversos manuais escolares, tendo sido premiado, em 2004, pela EEPG — European Educational Publishers Group, com o MERIT AWARD BOOKS FOR SECONDARY SCHOLL — BEST EUROPEAN SCHOOLBOOKS pelo manual de filosofia A Cor das Ideias.É também autor de vários livros na área da retórica e da argumentação, de que se destacam
• Racionalidade argumentativa (1993, ISBN 972-41-1189-X).
• Consequências da retórica. Para uma revalorização do múltiplo e do controverso (1998, ISBN 972-8459-05-X).
• Discursividade e perspectivas. Questões de argumentação (2009, ISBN 978-989-8377-00-5).
• A interacção argumentativa (2010, ISBN, 978-989-96375-7-3).
• Fenomenologia, Hermenêutica, Retórica e Argumentação (2011, ISBN 978-989-8377-21-0).
• Teorias da argumentação (2012, ISBN 978-989-8377-22-7).
• Perspetivismo e argumentação (2013, ISBN: 978-989-8377-42-5).
• Vocabulário Crítico de Argumentação (2013, ISBN: 978-989-8377-43-2).
• Discursos, análises e contradiscursos. Poderes da argumentação (Org.). (2016, ISBN: 978-989-8377-89-0).
• A argumentação na interação (2016, ISBN: 978-989-8377-91-3).
• Retórica e comunicação multidimensional (org. com Moisés Olímpio Ferreira) (2017, ISBN: 978-989-99682-6-4).
Publicou um livro de poesia intitulado Não se ama o mar sem amar as marés (2007, ISBN 978-989-614-061-8) e tem também livros publicados na área da literatura infanto-juvenil:
• Olá, eu sou um livro! (ISBN 978-989-614-097-7, obra ingrada nos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura e reeditada em 2008 e 2009);
• Vidas de gato (2008, ISBN 978-989-614-083-0);
• O afinador de palavras (2008, ISBN 978-989-614-089-2, obra integrada nos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura);
• Espelho meu (2009, ISBN 978-989-614-123-3).
• O mapa das perguntas (2011, ISBN 978-989-8377-18-0).
Lecionou durante vários anos no Ensino Secundário e no Ensino Universitário e realizou dezenas de ações de formação no âmbito da sua área de especialização. No campo da sua atividade de editor foi, até 2009, responsável quer pela publicação de aproximadamente 200 títulos, quer pela linha gráfica de uma editora, sendo igualmente autor de diversas capas.Tem participado também, como apresentador, em dezenas sessões de lançamento de livros. Atualmente desenvolve a atividade de editor (de livros e de conteúdos e-learning) em regime liberal (Grácio Editor) e é investigador do Instituto de Filosofia da Nova (Universidade Nova de Lisboa). Dedica-se ainda a atividades como a composição musical e à produção de pequenos filmes de animação destinados à promoção do livro e da leitura.

Modalidade e duração

Curso em regime e-learning, proporcionado a partir da plataforma que disponibilizamos. Pode ser realizado com ou sem tutoria. Pode também ser eventualmente ministrado em regime presencial (individual ou em grupo), na nossa sede em Coimbra ou em outro local a combinar. A modalidade presencial deste curso requer um contacto pessoal para se proceder aos acertos sobre as suas condições de realização.Na modalidade e-learning o curso está elaborado para um tempo útil de aprendizagem de 120 horas (40 horas por nível, nas quais estão previstos os tempos relativos ao visionamento dos vídeos, à execução das tarefas propostas e às avaliações sugeridas).

Enquadramento e justificação

Centrais em diversos domínios profissionais, as competências argumentativas são reclamadas cada vez mais a todos os indivíduos.Com efeito, são hoje praticamente universais os apelos à maior participação dos indivíduos nas diversas esferas da vida coletiva. Os temas da cidadania e da promoção de capacidades críticas estão, por assim dizer, no topo da atenção dos debates políticos, culturais e académicos. Pode, por certo, dizer-se mesmo que são mesmo temas transversais a qualquer disciplina ligada às Ciências Sociais e Humanas.É, pois, sob este signo da participação ativa que retoma com grande vitalidade a exigência de competências discursivas aperfeiçoadas e aptas à reação em contexto cada vez mais competitivo que o presente curso foi desenhado.Quer se inscrevam no plano elementar da interação quotidiana entre as pessoas, quer no plano específico de determinadas profissões, estas competências discursivas não podem ser estimuladas fora de uma cultura da argumentação.As práticas argumentativas inscrevem-se no plano de um saber-fazer que se situa no modo como os indivíduos lidam com os discursos (representações sociais) e através deles interagem argumentativamente em diferentes contextos, tendo em vista lidarem com a conflitualidade, com os imaginários sociais e com a negociação da distância entre os seus interesses.Investir nestas competências significa, por outro lado e a um nível mais específico, capacitar os indivíduos a lidar com os discursos que funcionam como retóricas, dotadas de argumentários característicos e que cumprem finalidades persuasivas, fundamentais na formação da opinião e nos mecanismos de influência sobre outrem.Entende-se, neste sentido, que um curso como de «Poder de argumentação: saber sustentar posições» se justifica acima de tudo pela necessidade de fomentar o uso da linguagem para a promoção e o exercício da cidadania, na certeza de que a atividade argumentativa é fundamental para a formação e para a participação do indivíduo enquanto sujeito cidadão, investido de direitos e deveres no estado democrático de direito.Por outras palavras, entende-se que este curso visa colmatar a lacuna identificada em vários segmentos da formação académica em matéria de competências linguísticas argumentativas tão essenciais ao cidadão comum como ao jurista ou ao professor, por exemplo.

Objetivos

O presente curso pretende ser um curso de formação complementar empreendido com os seguintes objetivos:
a) Proporcionar formação específica em matéria de competências linguísticas e argumentativas.
b) Sensibilizar para a importância do domínio das estratégias de argumentação em contextos de conflitualidade.
c) Consciencializar para o funcionamento retórico de determinados discursos, dotados de argumentários específicos e visando finalidades persuasivas e performativas.
d) Promover o desenvolvimento de técnicas e estratégias argumentativas.
e) Fomentar o exercício de uma cidadania ativa,

Resultados esperados

No final deste curso, é expectável que os formandos:
• se sintam mais conscientes das práticas argumentativas quer no dia-a-dia, quer em contextos especializados;
• tenham adquirido as principais noções para que remete o pensamento da racionalidade em termos de argumentação;
• tenham obtido uma visão história da emergência matricial das questões de argumentação;
• identifiquem algumas das questões essenciais do estudo teórico da argumentação, desde a identificação das argumentações até aos critérios da sua avaliação;
• conheçam um conjunto vasto de técnicas e estratégias argumentativas;
• compreendam e tenham adquirido competências para estruturar um discurso argumentado, sabendo selecionar os recursos adequados;
• tenham adquirido uma visão crítica sobre a argumentação que permita desenvolver contra-argumentos e testar e questionar incisivamente os argumentos propostos pelos interlocutores;
• compreendam a importância das técnicas oratórias na construção de um discurso simultaneamente argumentativo e persuasivo;
• saibam identificar e questionar raciocínios falaciosos, sabendo identificar a força e a fraqueza dos argumentos.

Destinatários

O presente curso acolherá todas as pessoas interessadas e curiosas, não se estabelecendo quaisquer pré-requisitos para a sua frequência. No entanto, serão destinatários principais:
• Licenciandos e licenciados das diversas áreas (especialmente de Ciências Sociais e Humanas, mas também de outras áreas nas quais esta competência transversal deve ser aprofundada) que queiram aumentar a sua competência argumentativa.
• Profissionais ou alunos de Direito que queiram consolidar, do ponto de vista prático e aplicado, as aptidões para lidar com situações onde a argumentação se revela como fundamental.
• Pessoas que queiram aprofundar os seus conhecimentos nesta área transversal, ficando dotadas de instrumentos de compreensão teórica e de aplicação prática.
• Pessoas interessadas em aumentar a sua cultura geral e as sua competências de interação dialógica.

Note bem:Este curso está a ser oferecido pela Faculdade de Ciências Sociais e Humana da Universidade de Lisboa. Consulte em:http://www.fcsh.unl.pt/formacao-ao-longo-da-vida/cursos-livres/oferta-de-cursos-livres/2.o-semestre/poder-de-argumentacao-saber-sustentar-posicoes

Mecanismos de Resolução Alternativa de Litígios
Na eventualidade de um litígio o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do distrito de Coimbra (CACCDC), com sítio em http://www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede na Av. Fernão Magalhães, N.º 240, 1º, 3000-172 Coimbra.

Endereço

Travessa da Vila União, n.º 16, 7.º drt
3030-217 COIMBRA
PORTUGAL

Contactos

E-mail: editor@ruigracio.com
Telefones: 239 084 370 ou 916 600 624

NIF

Paula Cristina Pintassilgo Marques Rodrigues Grácio
NIF: 190 301 066